sexta-feira, 17 de junho de 2011

Proposta para Criação do Clube da Cultura

CLUBE DA CULTURA


CULTURA: EIS A IDENTIDADE DE UM POVO


Clube da Cultura


Nos últimos dias tenho feito gestões junto a intelectuais guarabirenses no sentido de que seja criada uma instituição voltada única e exclusivamente para a produtividade cultural. Surgiu, daí, a proposta de criação de um Clube da Culturaem Guarabira. O Clube centraria todos os seus esforços no incentivo, produção, divulgação e publicação de trabalhos feitos por escritores, artistas plásticos, escultores, músicos, videoastas etc. A primeira reunião para a discussão dessa proposta já está prevista para acontecer no próximo dia 22 de julho (uma sexta-feira), possivelmente na Casa da Cultura ou em outro ambiente igualmente adequado à realização do encontro.
Três dos maiores expoentes da cultura guarabirense foram sondados sobre essa possibilidade: Marisa Alverga (poetisa, escritora e educadora), Vicente Barbosa (professor universitário e pesquisador) e Belarmino Mariano (diretor da UEPB, Campus III, Guarabira). Todos se mostraram dispostos a colaborar nesse esforço que visa a tão-somente valorizar o material humano de que dispõe o agreste e o brejo paraibano. Marisa e Vicente se mostraram reticentes quanto à possibilidade de o projeto ser viabilizado numa cidade onde os valores culturais são relegados a quinto plano na escala de prioridades. Mas disseram que vale a pena buscar alternativas que tenham por finalidade tirar a cidade e a região do que classificam de “marasmo cultural”.
Na verdade o Clube da Cultura seguiria os mesmos passos da chamada Escola de Frankfurt (claro, guardadas as devidas proporções). Essa Escola, na verdade, era o Instituto de Pesquisas Sociais, criado na Alemanha na primeira metade do século 20 para incentivar a pesquisa nos diversos campos da atividade humana. Dela fizeram parte grandes nomes como Walter Banjamin, Theodor W. Adorno, Max Horkheimer e tantos outros.  Dessa forma fiz ver a todos com quem falei da necessidade de os produtores culturais da cidade “descruzarem os braços” e passarem a uma ação efetiva no sentido de libertarem o movimento cultural da dependência do poder público. E todos concordaram com esse ponto específico.
Assim, o próximo dia 22 de julho pode marcar uma grande virada na história do movimento cultural de Guarabira e áreas vizinhas. Mas para isso acontecer é necessário que todos estejam engajados em torno de um objetivo comum: unificar o movimento cultural, dando-lhe vazão e independência de ação. O resultado final desse trabalho poderá ser a expansão da criatividade guarabirense para outros centros culturalmente mais avançados do país.
Busquemos novos horizontes.

Obrigado a todos e até o dia 22 de julho de 2011.

Nenhum comentário: