terça-feira, 31 de maio de 2011

AMBIENTALISTAS SÃO ASSASSINADOS EM RESERVA EXTRATIVISTA NO SUDESTE DO PARÁ.

AMBIENTALISTAS SÃO ASSASSINADOS EM RESERVA EXTRATIVISTA NO SUDESTE DO PARÁ.
  
Enviado pela Comissão Pastoral da Terra – CPT
Diocese de Marabá.
          
  Hoje, por volta das 8 horas da manhã, os ambientalistasJOSÉ CLÁUDIO RIBEIRO DA SILVA e sua esposa MARIA DO ESPÍRITO SANTO SILVA, foram assassinados a tiros no interior do Projeto de Assentamento Extrativista, Praia Alta Piranheira, no município de Nova Ipixuna, sudeste do Pará. José Cláudio e Maria do Espírito Santo se dirigiam de moto para a sede do município, localizada a 45 km, ao passarem por uma ponte, em péssimas condições de trafegabilidade, foram alvejados com vários tiros de escopeta e revólver calibre 38, disparados por dois pistoleiros que se encontravam de tocaia dentro do mato na cabeceira da ponte. Os dois ambientalistas morreram no local. Os pistoleiros cortarem uma das orelhas de José Cláudio e levaram como prova do crime. 

José Cláudio e Maria do Espírito Santo foram pioneiros na criação da reserva extrativista do Assentamento Praia Alta Piranheira no ano de 1997. Uma área de 22 mil hectares, onde existia uma das últimas reservas de Castanha do Pará, da região sudeste do Estado. Além da Castanha do Pará a reserva é rica em açaí, andiroba, cupuaçu e outras espécies extrativistas. Devido à riqueza em madeira, a reserva era constantemente invadida por madeireiros do município de Nova Ipixuna e Jacundá. A área é também pressionada por fazendeiros que pretendem expandir a criação de gado no local.

“Eu defendo a floresta e seus habitantes em pé, mas devido esse meu trabalho sou ameaçado de morte pelos empresários da madeira, que não querem ver a floresta em Pé”, denunciava José Cláudio. Ele foi o primeiro presidente da associação do assentamento, foi sucedido na presidência da associação por sua espora Maria do Espírito Santo. Os dois ambientalistas eram incansáveis defensores da preservação da floresta extrativista. Inúmeras vezes interditaram estradas internas, pararam caminhões madeireiros dentro da reserva, anotaram as placas e encaminharam as denúncias ao IBAMA e Ministério Público Federal. Eram porta-vozes das mais de 300 famílias ali assentadas. Defendiam a floresta como suas próprias vidas. Nos últimos anos passaram a serem ameaçados de morte por madeireiros e fazendeiros. Por diversas vezes encaminharam denúncias de ameaças sofridas, através da CPT e do CNS, aos órgãos competentes, sempre nominando madeireiros e fazendeiros como responsáveis pelas ameaças. No final do ano passado, escaparam de uma emboscada, quando pistoleiros estiveram em sua casa procurando pelo casal. Nos últimos anos, a CPT denunciou as ameaças contra o casal no caderno de conflitos no campo. Nem a floresta nem os ambientalistas foram protegidos pelo poder público. As castanheiras continuaram sendo derrubadas pelos madeireiros e as duas lideranças tombaram pelas balas criminosas de pistoleiros a mando de seus ameaçadores.

A responsabilidade pelas mortes dos ambientalistas recai sobre o INCRA, o IBAMA, a Polícia Federal que nada fizeram para coibirem a extração ilegal de castanheiras na reserva e a destruição da Floresta pelos madeireiros e carvoeiros. Recai ainda sobre o governo do Estado do Pará que não colocou a polícia para investigar as tantas denúncias feita por José Cláudio e Maria do Espírito Santo. Por fim, os dois ambientalistas são vítimas do atual modelo de desenvolvimento imposto para a Amazônia pelos sucessivos governantes, que prioriza a exploração desenfreada e criminosa das riquezas da floresta, em benefício do agronegócio, de madeireiros e mineradores.  As consequências são: a destruição da floresta, o saque de suas riquezas e a violência contra seus povos.

            José Cláudio e Maria do Espírito Santo vivem na luta e na memória do povo!
                                  
Marabá, 24 de maio de 2011.

Comissão Pastoral da Terra – CPT
Diocese de Marabá. 

segunda-feira, 23 de maio de 2011

PBVEST PARA ESTUDANTES DO ENSINO MEDIO


Projeto apoiado pela Universidade Estadual oriundo do Governo do Estado inscreve para mais de 4 mil vagas
Seg, 23 de Maio de 2011 14:57
 Um projeto apoiado pela UEPB, denominado PBVest e oriundo da Secretaria Estadual de Educação, com vistas a reforçar e ampliar os conhecimentos dos alunos das escolas da rede pública de ensino e egressos do Estado da Paraíba, que pretendam concorrer às vagas dos cursos de graduação através de exame vestibular ou de outros processos seletivos, está inscrevendo até o dia 03 de junho.
As inscrições podem ser feitas no portal do Governo do Estado através do link www.paraiba.pb.gov.br/educacao. Os exames serão realizados no dia 19 de junho, das 8 às 12h, no município onde o candidato pretende realizar o curso.
São oferecidas 4.070 vagas para alunos que estejam cursando o 3º ano do Ensino Médio em escola pública ou que tenham concluído o Ensino Médio em escola pública do Estado. Após realizar sua inscrição, o candidato participará de uma prova eliminatória e classificatória abrangendo conteúdos de Português e Matemática.
O resultado da seleção será divulgado no portal da Secretaria da Educação e nas sedes das instituições participantes a partir do dia 04 de julho. As aulas para os candidatos aprovados começarão no dia 09 do mesmo mês.
As preleções acontecerão aos sábados e domingos, no período de julho a novembro, em horário integral. “Nosso grande objetivo com o PBVest é ter cada vez mais alunos da rede pública nas principais universidades da Paraíba”, explicou o secretário de Educação do Estado, Afonso Celso Scocuglia.
“As aulas serão divididas em 30 minutos de vídeo-aulas e 20 minutos de resolução de exercícios com um professor monitor em sala de aula. Os alunos acompanharão as atividades por meio do material didático elaborado pela equipe do PBVest, que é composta por excelentes professores de cursinho do Estado”, explicou o coordenador do PBVest, professor Américo Falcone.
VEJA EDITAL E MATÉRIA NA INTEGRA:

terça-feira, 17 de maio de 2011

1º Seminário Paraíba e Políticas Públicas de Cultura para o Desenvolvimento Sustentável

Em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado da Paraíba, o campus III da Universidade Estadual da Paraíba, instalado em Guarabira, será sede do “1º Seminário Paraíba e Políticas Públicas de Cultura para o Desenvolvimento Sustentável”, que acontecerá nesta quinta-feira (19), no Auditório do Campus, das 9 às 16h.


O evento tem em vista incentivar os municípios para que sejam habilitados a obter investimentos do Ministério da Cultura, além de discutir questões sobre como assinar o Acordo de Cooperação junto ao Ministério, para a adesão do município ao Sistema Nacional de Cultura. Este sistema visa uma integração do desenvolvimento social, em exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional.
veja programação:
http://www.uepb.edu.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2762:campus-da-uepb-sediara-1o-seminario-paraiba-e-politicas-publicas-de-cultura-para-o-desenvolvimento-sustentavel&catid=177:noticias&Itemid=410

domingo, 15 de maio de 2011

O mercador de sons


Texto de Joana Belarmino,

Podia ser um professor, um orador de praça pública, um publicitário. Escolheu, ou foi escolhido pela vida, para ser um vendedor de camarões.


Não sei onde mora, como se veste, qual a cor da sua pele, em que recipiente leva os seus camarões. Mas torno-me presa do som da sua voz, quando ele passa pela minha rua, a meio da manhã de sábado, passagem tão breve como se fosse um pássaro exótico, a exibir sua plumagem, seu canto ao mesmo tempo rústico e belo.

Que circunstâncias cósmicas, ou casualmente improváveis fazem com que a manhã silencie, o vento se acalme, a rua refaça sua acústica, para a sua passagem, o seu apelo, composto apenas por três inserções, entre curtas pausas?

Quanto tempo, quanto sol, quanta pescaria terão sido precisos para o aperfeiçoamento da sua invenção, palavra única, cuja força máxima em empregada na última sílaba, que fica reverberando nas janelas, nas esquinas, nos espíritos?

“camarou, camarou, camarou”, prega o homem, uma discreta sombra de til na última sílaba, a força e a integridade da voz a exibir-se a uma manhã pasmada com a beleza daquela cena rude.

Eu também, paralisada, degusto aquele som, procuro na fala alguma imperfeição, resquícios de um pigarro. Nada empana aquela cena, feita para um palco aberto, onde os espectadores é que estão por trás das portas, das janelas, das cortinas.

“Camarou, camarou, camarou”. Já ultrapassou a praça das muriçocas, e aqui dentro, recolho a minha vontade de correr à rua, abordá-lo, examinar seus camarões, contar meu dinheiro, entregar-lhe algumas cédulas e pedir-lhe a mercadoria da sua palavra inventada, para temperar um postal da minha rua, uma canção de sábado, uma prece ao trabalho.

Novos Departamentos do CH/UEPB



UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA
Centro de Humanidades

Guarabira, 13 de maio de 2011.

Carta Aberta à Comunidade Acadêmica do CH/UEPB:



Conforme publicação no Diário Oficial do Estado da Paraíba, do dia 13 de maio, às páginas 9 e 10, com decisão por ad referendum, a Magnífica Reitora Marlene Alves, atendeu a nossa demanda pela reestruturação dos departamentos do CH, Geo-História e Letras e Educação. A partir de agora, o CH tem cinco departamentos: Ciências Jurídicas; História, Letras, Educação e Geografia.

Essa importante decisão facilitará o funcionamento e o acompanhamento de cada departamento das atividades acadêmicas de ensino, inclusive, por áreas, monitorias, pesquisa e extensão, além das atividades administrativas; terá melhores condições de buscar meios técnicos e acadêmicos para a ampliação de demandas científicas em editais institucionais como o CNPq, Capes, PROPESQ, entre outros; será mais fácil corrigir as distorções das áreas de conhecimento, contribuir com as coordenações de cursos para acelerar os processos de atualização e reconhecimento dos Projetos Políticos Pedagógicos dos cursos, além de incentivar o corpo docente à qualificação e à produção acadêmica dentro dos padrões de qualidade das IES.

Os departamentos terão melhores condições de dialogar com a coordenação de curso, de definir melhor as demandas de cada docente, de conduzir atividades de aprofundamento de suas questões especificas, de fortalecer, em reuniões, os debates acerca de suas temáticas científicas, saindo de reuniões, às mais das vezes, meramente burocráticas, enfadonhas e pouco produtivas. Esse desmembramento também é providencial, pois ampliará ainda mais o processo democrático do Centro, com o acréscimo do número de conselheiros do COC.

Aproveitamos esta carta aberta para agradecer publicamente a Magnífica Reitora, professora Marlene Alves, por atender integralmente a nossa demanda; agradecer, especialmente, aos Pró-reitores de Planejamento e Administração - Professor Rangel Jr. e Professora Célia Regina, pelo compromisso, empenho e exigências na condução desse processo; agradecer, também, à Procuradoria Geral da UEPB, na pessoa do prof. Ebenezer Pernambucano, pela direta assessoria no correto trâmite do processo, respeitando as normas regimentais e estatutárias da UEPB. Sem esses apoios, provavelmente ainda estaríamos deslizando em erros e vícios processuais.

Antecipadamente, agradecer aos conselheiros do CONSUNI, pois sabemos que os mesmo irão compreender a importância do pleito e atender a essa demanda; agradecer aos chefes dos antigos departamentos, professor Francisco Fábio e Iara Martins, pois não mediram esforços em levantar todos os dados e atender as exigências dos processos de separações departamentais. No mais, acreditamos que cabe a nós, professores e professoras, servidores técnicos e estudantes do CH a real prática para que esse Centro consiga fazer o melhor possível no crescimento e fortalecimento da UEPB.

Atenciosamente,

Belarmino Mariano Neto e Wanilda Lima Vidal de Lacerda (Direção do CH)

sábado, 14 de maio de 2011

Documento Final da I Jornada Pelo Desenvolvimento do Brejo e Região


Imagens: Feijão Guandú. Fotografia de Érica Gomes da Costa Mariano, Pilões/PB, 2009.

Que modelo de desenvolvimento queremos para os próximos anos? Em resposta a esta questão, 30 instituições idealizaram a I Jornada Paraibana pelo Desenvolvimento do Brejo e Região, realizada no dia 16 de fevereiro de 2011, na Universidade Estadual da Paraíba, em Guarabira. O propósito? Construir, a partir das contribuições de lideranças locais, caminhos para o crescimento social, econômico e cultural dos municípios, observando problemáticas, potencialidades e estrutura que cada local possui.


Impulsionados pelo sentimento de construção de nova realidade, 250 lideranças de 29 municípios participaram da jornada e, por meio de grupos temáticos, ajudaram a construir caminhos de desenvolvimento possíveis e necessários à região. Saúde, Educação, Cultura, Turismo, Planejamento Urbano, Desenvolvimento Rural, Meio Ambiente, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Indústria, Comércio, Serviços e Segurança Pública pautaram as discussões iniciadas e apresentadas por quem vive o dia-a-dia destas cidades.

Os resultados dos eixos temáticos que compõem esse documento apontam na perspectiva de que o Desenvolvimento esperado, passa obrigatoriamente pela sustentabilidade econômica e ambiental, conceito ainda distante da realidade local e regional, Mas o que a jornada conseguiu sistematizar, está agrupado neste trabalho e distribuído em nove eixos temáticos com cenários de cada área e propostas destinadas a nortear ou apoiar a implementação de ações governamentais, parlamentares e empresariais. O trabalho não é conclusivo e se propõe a instigar e estimular a colaboração na construção de modelo de desenvolvimento baseado nas necessidades da população e na solução de lacunas e deficiências.

Confira documento final na integra:
https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=explorer&chrome=true&srcid=0BzuVaa1bm0peOGE0YzZmZmQtOGI5NS00NTMxLTg5YmMtNTYxMTc4ZjhiODI0&hl=en

I Jornda de Direitos Humanos do Agreste Paraibano

O Centro Acadêmico de Direito (CADI) em parceria com o Centro de Referência em Direitos Humanos (CRDHA-PB), irá promever nos dias 24 e 25 de maio (tarde e noite) a 1 Jornada de Direitos Humanos do agreste Paraibano, o evento terá várias mesas nas quais serão debatidos vários temas referentes aos DDHH como por exemplo: Direitos humanos e meio ambiente, Direitos humanos e Cultura,Direitos humanos e a cultura afro-brasileira, Direito e educação, Lei de Anistia, etc.
confira a programação:

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Crepúsculo amanhecido


Por Joana Belarmino

(Ao meu irmão Belarmino Belo)


Caro Amigo Marconi,

O capítulo da Agroecologia do agreste e brejo paraibano já tem mais umas duzentas páginas escritas. A defesa pode-se dizer, foi quente. Primeiro, por causa dos quase quarenta graus, num auditório cheio de gente, onde o ar condicionado não funcionava, segundo, porque os doutores da França e da Bélgica incomodaram-se com a largueza do meu conceito de território, uma elaboração construída entre os diques da geografia e da sociologia, onde eu pude envolver, entretanto, pequenos lugares individuais, como porteiras, recantos para conversar acocorados, plantas ressequidas a nos contarem, nas suas dobraduras de folhas, histórias de tempos verdes, esperanças de verdes tempos.

A história completa dessa defesa, eu te conto quando a gente se encontrar.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Governador Ricardo Coutinho garante a reitora da UEPB recálculo e repasse do duodécimo não efetivado em 2010

Qui, 05 de Maio de 2011 08:48

A audiência solicitada pela reitora da Universidade Estadual da Paraíba, Marlene Alves Sousa Luna, ao governador do Estado, Ricardo Coutinho, obteve bons resultados. Durante uma reunião ocorrida ontem (04), no Palácio da Redenção, em João Pessoa, o Governo do Estado se comprometeu a efetuar o pagamento da parcela do duodécimo referente ao mês de dezembro do ano passado, que deveria ter sido paga pela gestão anterior. Ricardo Coutinho garantiu que o Governo irá recalcular o duodécimo para incluir o repasse que não foi efetivado em 2010.

Com informações da SECOM leia na integra

http://www.uepb.edu.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2696:governador-ricardo-coutinho-garante-a-reitora-da-uepb-recalculo-e-repasse-do-duodecimo-nao-efetivado-em-2010&catid=177:noticias&Itemid=410