sexta-feira, 19 de maio de 2017

A Soberania Popular pede Diretas Já

Imagem extraída do site de Ricardo Antunes, 02/03/2017.
Por: Belarmino Mariano Neto

Depois de ontem com a flagrante queda do governo ilegítimo de TEMER (PMDB, PSDB, DEM...), três questões me deixaram em estado de reflexão nestes últimos dias. a primeira é sobre a ideia de verdade? A segunda é sobre o preço do silêncio? A terceira é sobre a impunidade?
A Grande Mídia Nacional, capitaneada pelo Sistema Globo, com informações secretas e privilegiadas, passou a manipular dados e pessoas, alterando completamento o sentido da verdade.  A verdade milhares de vezes manipulada, alterada, interpretada e esgarçada, vai se tornando uma meia verdade. 
Sobre o silêncio, já havia escutado de muitos sábios o quanto o silêncio é importante, pois podemos aprender com ele. A voz do silêncio é suave e para alguns  e verdadeiramente divina. Mas, quando estamos falando sobre o silêncio do Ex-Deputado Federal e Ex-Presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB), cassado e preso por corrupção e uma dezena de outros crimes. Aquele que tinha maioria constante dentro do Congresso e que foi abandonado pelos aliados de uma dezena de partidos, ficamos a pensar sobre a valiosa verdade do silêncio de Cunha? Quem estava tão interessado pelo seu silêncio sepulcral do Cunha? Sobre a impunidade tratarei ao final desse artigo.

Há Exatamente um ano,(abril de 2016 a maio de 2017), os brasileiros acompanham um novo estilo político de golpe, com pirotecnias midiáticas, referendadas pelo judiciário, em que um congresso nacional imoral, hipócrita e farsista, alimenta-se de um sórdido golpe contra a nossa democracia, imputando a Ex-presidente Dilma (PT/PMDB), crime contra a economia brasileira (pedaladas fiscais). Dilma foi cassada pelo congresso e pelo senado com o completo aval do Supremo Tribunal da Justiça e com a sua casação a Soberania Popular que havia lhe elegido com mais de 54 milhões de votos, foi ameaçada e um governo antidemocrático e de derrotados se empoderou da presidência da República, dos Ministérios, das Secretarias Especiais e das Estatais, passando a rasgar a constituição brasileira, alterando leis e atacando os direitos da classe trabalhadora e do povo em geral.
Ontem, esse governo ilegitimo de Temer (PMDB, PSDB, DEM...), que já vinha cambaleando perante a opinião pública, com 97% de rejeição, seguida pela maior greve da história do Brasil (28 de abril), e que, diante das reformas antipopulares, se sustentava apenas em mídias mentirosas, enquanto seu congresso corrupto galopada em aprovar a destruição da constituição brasileira, em favor das elites dominantes e do capital estrangeiro.
Esse governo Golpista de Temer, assim como começou, também acabou, criando as condições para se autodestruir. O mais grave é observarmos que os mandatários da operação Lava-Jato, comandada pelo Juiz Sérgio Moro, se fizeram de desentendidos em relação aos políticos do PSDB, PMDB, DEM e muitos outros aliados, os deixando agir livremente, enquanto passou a prender empresários, filhos, esposas e diretores de grandes empresas nacionais que estavam diretamente envolvidos com os esquemas de corrupção em funcionamento durante os sucessivos governos do PSDB, PT e PMDB.
Empresários e políticos ligados aos governos Lula e Dilma eram perseguidos e presos, enquanto os esquemas do PSDB, PMDB, DEM, PSD entre outros partidos eram minados ou protegidos. 
A busca por delatores era constante, mais a justiça de Moro, parecia extremamente seletiva. Pois delações, uma após a outra, apontavam os esquemas de corrupção de deputados, senadores, ministros e até do presidente golpista Michel Temer. Todos eram continuamente intocados pelas togas da operação Lava-Jato. 
Foi preciso que o empresário Joesley Batista do ramo de laticínios, conhecido como JBS, f livremente e com alguns diretores da Friboi, fossem até o Juiz Sérgio Moro e fizessem uma delação premiadíssima sobre aqueles que continuavam extorquindo os recursos da Empresa Friboi. A deleção foi acompanhada de provas incontestes, com a entrega de documentos e vídeos, em que aparecem os usurpadores do poder, entre eles: o Presidente Golpista Temer (PMDB); o senador Aécio Neves (PSDB/MG) e o deputado federal Rocha Loures (PMDB/PR), todos com a "boca na botija". 
Segundo o empresário Joesley a corrupção estava baseada em uma Mesada de R$: 500 mil mês, para comprar o silêncio de Eduardo Cunha, manobra que o presidente golpista queria que fosse mantida. no meio da delação uma quantia de R$: 2 milhões de reais para ajudar o senador golpista Aécio (PSDB) a pagar custas dos 07 processos por corrupção que responderia na Operação Lava-Jato, que estavam todos stopped.
Dito isso, ficamos há nos indagar sobre tanta impunidade, tanta corrupção e tanta ocultação que a Justiça de Moro vinha fazendo para encobrir os desmandos desses políticos corruptos. 
Lembrem das ameaças de Eduardo Cunha, em que ele disse mais de uma vez, que, se ele fosse preso, levaria com ele mais de 290 parlamentares, entre deputados, senadores, ministros e até mesmo o golpista na presidência. Agora começo a pensar que Cunha em seu silêncio milionário, pode ter sido o grande articulador desse esquema, convencendo o empresário a fazer a delação. O seu Plano B, assim, cerceado de liberdade, mais agindo impunemente "nas barbas bem feitas" do Juiz Sérgio Moro e da Polícia Federal. 
Cunha pode ter articulado tudo, pois talvez não estivesse querendo curtir seus 15 anos de prisão sozinho. Talvez essa dinheirama toda nem valia tanto a pena, pois 15 anos encarcerado, enquanto seus amigos/inimigos continuavam livres e curtindo a vida numa boa. Indo e vindo dos paraísos fiscais, curtindo os jantares milionários palacianos e como dizia Cazuza -"Meus inimigos estão no poder".
Não acredito que tenha existido algum tipo de crise de consciência de Cunha ou dos donos da Friboi para tamanha delação. Se veio do Cunha, pode ter sido pura maldade mesmo. Como é que Cunha poderá levar com ele para a prisão, mais da metade do congresso nacional, poder executivo e algumas pedras preciosas do supremo? No minimo, Cunha têm provas contundentes, assim como os donos da JBS (Friboi). Estes que, inclusive surfaram nas ondas de suas delações, pois segundo fontes econômicas os empresários da Friboi compraram milhões de dólares, as vésperas da delação, apostando que sua bomba contra Temer, Aécio e outros, também explodiria a bolsa de valores de São Paulo. Dito e feito. Derrubou o governo e abalou a frágil equipe econômica golpista.
Mas vamos ao que interessa: A SOBERANIA POPULAR. Hoje o Deputado Federal Ivan Valente (PSOL/PA), em rede nacional disse que o Congresso Nacional não tem moral para conduzir nenhum tipo de eleição indireta, pois nas entrelinhas do silêncio de Cunha, fica claro que são centenas de deputados e dezenas de senadores que estão envolvidos nos vários esquemas de corrupção e que continuam acontecendo. Esse congresso é tão golpista quanto Temer, Cunha, Aécio e toda essa corja de ministros, deputados e senadores ligados diretamente ao PMDB, PSDB, DEM, PP, PSD e outra reca de partidos que estão diretamente envolvidos nesse oceano de lama e agora com a tentativa de destruição dos direitos da classe trabalhadora e do povo brasileiro. Só nos resta uma saída é pela Esquerda de Vanguarda e nas ruas, capitaneando a vontade popular para expurgar do poder esses políticos e partidos envolvidos em corrupção. As nossas bandeiras de lutas são:

  • Pelo Fim Desse Governo Golpistas;
  • Pela Restituição da Democracia Brasileira Já;
  • Pelo Imediato Fim do governo Temer;
  • Pelo Cancelamento de todas as reformas encaminhada pelo governo golpista;
  • Por Eleições Gerias e uma Constituinte Já.

Só essas medidas poderão garantir a Democracia Brasileira no seu caminho e isso passa obrigatoriamente pela soberania popular.

Belarmino Mariano Neto - Doutor em Sociologia (UFPB/UFCG), Mestre em Meio Ambiente (PRODEMA/UFPB/UEPB) e Geógrafo (UFPB). Professor de Teoria da Geografia e Geopolítica pela UEPB.

Fonte da imagem: Site de Ricardo Antunes

Nenhum comentário: