segunda-feira, 18 de novembro de 2013

ABORDAGEM TERRITORIAL E ENFOQUES AGROECOLÓGICOS NO AGRESTE/BREJO PARAIBANO: DESENHOS, ARRANJOS E RELAÇÕES (TESE DE DOUTORADO)

Foto do Sítio Utopia, jardinagem e agrofloresta, 2005.

A Tese de Doutorado do Prof. BELARMINO MARIANO NETO, já se encontra a
disposição de todos em formato PDF. A área de desenvolvimento da pesquisa localiza-se 
no Planalto da Borborema, Agreste e Brejo da Paraíba, Nordeste brasileiro. 
O objetivo com este trabalho é analisar a construção de um território de enfoques agroecológicos, 
a partir das experiências e das relações sociais e ambientais que estão sendo 
desenvolvidas no Agreste e Brejo paraibano. A análise das 
experiências dos agricultores familiares, a partir das quais foram inseridos os mediadores 
(Organizações Não-Governamentais – ONG’s, sindicatos e institutos de pesquisa) e também 
os consumidores. Foram consideradas como metodologia a pesquisa empírica e a observação 
participante e como elementos teóricos a abordagem territorial e ecologia política em uma 
constante reflexão e análise crítica dos componentes sócio-ambientais do presente. A tese 
parte da ideia de que a estrutura agrária do latifúndio e as práticas de degradação do meio 
ambiente são os principais problemas para a realização de uma agricultura familiar 
sustentável de forma social, econômica e ecológica. A abordagem focada no território pauta-
se em processos de organização social, a partir das propriedades rurais e seus produtores. 
Elegeu-se uma área de sítios para uma identificação de elementos sócio-ambientais. Os sítios 
Utopia e São Tomé Cima, em Alagoa Nova, foram as principais bases no estudo de caso e os 
sítios: Floriano, Retiro, Lagoa do Barro e Oiti, situados em Lagoa Seca, complementaram a 
pesquisa empírica. O espaço da pesquisa é marcado pela bacia hidrográfica do Rio 
Mamanguape, que serviu de via colonial para a conquista e povoamento de toda a área. O 
ambiente ecológico de Brejo apresenta os melhores solos do território, o que levou ao local 
uma forte concentração de terras e disputas de poder político local. Nessa construção, 
acredita-se na ideia de que, mesmo com a agricultura familiar existente, a agricultura 
ecológica só será implantada mediante um forte processo de transformação do espaço agrário 
e democratização dos recursos naturais, para que os agricultores familiares possam atingir o 
pleno desenvolvimento de um território sustentável.

Leia a Tese na integra: 
https://docs.google.com/file/d/0BzuVaa1bm0peOWVhMmMwYjgtODA2Yy00OWIyLWFmMTItOTY0ZDQwM2YxZGQ1/edit?hl=en

Nenhum comentário: