sábado, 8 de fevereiro de 2014

Sementes Terminator e o risco ambiental

shutterstock_139723072MENOR



Hoje o agricultor que compra suas sementes tem a possibilidade de reaproveitá-las na próxima colheita. O processo é simples: muitas plantas criam novas sementes, que são colhidas e utilizadas em futuras plantações. O processo é sustentável e beneficia principalmente o pequeno agricultor, que economiza uma boa parte do seu custo de planteio.
Mas esse ciclo saudável de reaproveitamento não agrada aos grandes fornecedores do produto, que almejam maximizar seus lucros. Então surgiu a ideia de criar plantas geneticamente modificadas que, ao brotar, criam sementes estéreis, sem o poder de geminar, forçando o agricultor a comprar outra saca, beneficiando os grandes grupos do setor.  São as chamadas “sementes terminator” ou “sementes suicidas”.
Sementes modificadas como as Terminator não apresentam nenhuma vantagem para os agricultores, seja em produtividade, em resistência a pragas ou em qualquer outro ponto do processo de produção agrícola. Somente uma parte é beneficiada: os seus fabricantes. Além da desvantagem no custo ao produtor, a “erosão genética” e a utilização de alimentos transgênicos, que ainda não possuem testes confiáveis para seu consumo, são outros fatores agravantes na liberação do uso desse tipo de semente.
Fonte: http://redesustentabilidade.org.br/ data: 6 de fevereiro de 2014

Nenhum comentário: