quarta-feira, 19 de novembro de 2008

A INTRODUCÃO DA AGROECOLOGIA NA MICRORREGIÃO DO BREJO PARAIBANO

Cleityane Sabino Freire1, Josivaldo da Silva2 Belarmino Mariano Neto3 1. Aluna de Geografia/UEPB/CH, e de Economia/UFPB. cleity_geo@hotmail.com 2. Aluno de Agronomia/UFPB/MAE, Areia/PB. josivaldo_rei@hotmail.com 3. (Orientador) Profº Ms em Geografia/UEPB/CH/DHG.
http://www.blogger.com/Configurações%20locais/Temporary%20Internet%20Files/Content.IE5/HIPBUSQ6/belogeo@yahoo.com.br .

EIXO TEMATICO AGRICULTURA FAMILIAR
Sub-Eixo: Agricultura familiar e experiências de convivência com a seca.

RESUMO: O presente trabalho tem por objetivo contribuir para uma reflexão sobre a temática relação da agroecologia que é entendida como um enfoque científico destinado a apoiar a transição dos atuais modelos de desenvolvimento rural e da agricultura convencional para estilos de desenvolvimento rural e de agricultura sustentável e a organização social na agricultura familiar, tendo como via de pesquisa a área geográfica da microrregião do Brejo Paraibano, enfatizando a analise sócio-econômica e ambiental da agricultura familiar que se define como aquela em que os trabalhos em nível de unidade de produção são exercidos predominantemente pela família, mantendo ela a iniciativa, o domínio e o controle do que e do como produzir, havendo uma relação estreita entre o que é produzido e o que é consumido. Como metodologia adota definimos três encaminhamentos: a) a observação participante que vem sendo realizada em conjunto ao Movimento Agroecológico (MAE) idealizado pelos estudantes de ciências agrárias com sede na UFPB – campus II em Areia, que acredita na agricultura familiar e luta por sua valorização, trazendo para o meio acadêmico discussões temáticas que envolvam a agroecologia; b) a pesquisa empírica a partir dos sítios que estão adotando experiências agroecológicas locais e c) apoio técnico e acompanhamento das famílias de agricultores que se interessarem pela agroecologia. Para isso, utilizamos o enfoque territorial em relação aos novos paradigmas científicos voltados para a agroecologia e os agroecossistemas na perspectiva de formar parcerias voltadas ao desenvolvimento sustentável e construir um modelo agroecologico que subsidie os pequenos agricultores da zona rural daquela região. Acreditamos que esse projeto esta apenas iniciando, tendo em vista que a agricultura familiar precisa ser reconhecida pelo seu papel na sociedade na qual se tenha uma visão holística, e não sendo isolada dos problemas agrícolas, alem de procurar através de trabalhos de associações, sindicatos ligados ao Pólo Sindical da Borborema e articulações, como a Articulação do Semi-Árido paraibano (ASA), pois estes possibilitam experiências de convivência com a problemática da seca e importância do uso da água e manejo do solo pelas populações rurais com uma agricultura sustentável ecologicamente correta. Ainda não temos dados nem resultados para serem compartilhados, mas já conseguimos firmar uma parceria com o sítio Utopia em Alagoa Nova, onde iremos acompanhar todas as experiências agroecológicas do local dando apoio ao agricultor o Sr. Paulo Luna Freire na sistematização de suas experiências com agroecologia.

PALAVRAS-CHAVE: Conscientização social, Agroecologia, Agricultura Familiar.
TIPO DE TRABALHO: Grupo de Estudo e Relatório de Observação. MAE/UFPB e Terra – Grupo de Pesquisas Urbanas, Rurais e Ambientais/UEPB/CNPq.

Um comentário:

Suely Chacon disse...

Adorei o Blog, Berlamino! Parabéns!
Que bom que nossa rede está cresceno! Conte comigo! Abraço da Suely