domingo, 5 de maio de 2013

Nonato Nunes lança seu livro sobre João Pedro Teixeira



Imagem  da capa do livro, 2013.

Por Belarmino Mariano Neto


O Lançamento do livro João Pedro Teixeira : Um mártir do Latifúndio será realizado no dia 09 de maio de 2013, as 15 horas, na Assembléia Legislativa da PB. A Livraria do Luiz convida à todos para participarem desse tão esperado Lançamento . Na ocasião será apresentado o documentário - CABRA MARCADO PRA MORRER. 
A obra foi apresentada pelo prof. Belarmino Mariano Neto da UEPB, que destaca a importância do livro, pois cada obra escrita guarda em si muitos significados, mas quando esse livro trata da vida de um líder camponês em franca luta sociopolítica para transformação da realidade, a obra se reveste de mais significados e valores. Quando convidados para prefaciar o documentário jornalístico produzido por Nonato Nunes, que redimensiona os cinquenta anos de assassinato do líder camponês João Pedro Teixeira, sabemos que as dimensões espaço-tempo se misturam ao ponto da unidade dimensional de um dos mais importantes fragmentos da História dos movimentos sociais no campo e em especial do Nordeste brasileiro, pois as Ligas Camponesas, como um movimento inicialmente voltado para o campo, ganhou contornos urbanos e chegou ao ápice ao reunir milhares de camponeses em torno de um movimento organizado com vistas a transformar as estruturas de poder reinante em nosso país.

O Livro do Nonato Nunes, sobre a vida, a luta e a morte de João Pedro Teixeira, não se prende as regras do academicismo em voga nas universidades e centros de pesquisas do Brasil. Um perfil eminentemente jornalístico com característica documentarista e até certo ponto biográfica refaz todo o caminho histórico dos acontecimentos que marcaram a vida de um homem simples, filho de agricultores do Piemonte da Borborema, em território paraibano e de homem simples, ao status de uma das mais importantes lideranças camponesas da história do Brasil, sempre a margem dos documentos longos, aparece em diferentes escritos com um forte que se levantou contra as oligarquias rurais paraibanas e empunhou em plena década de 1950-60 a bandeira do socialismo em um país subdesenvolvido e subjugado ao capitalismo imperialista.

Nenhum comentário: